Paisagem sonora e afeto: ruindo com as definições de ruído

Há som por toda parte. Todo mundo está cercado por sonoridades a todo tempo e em todo lugar.

No caso de ambientes urbanos, existem camadas sonoras muito fáceis de se perceber: o fluxo contínuo de carros e aviões, o barulho de obras e o constante deslocamento de grupos de pessoas pelas calçadas.

Esses sons (e tantas outras interferências sonoras distintas) influenciam diretamente nossa percepção sobre tempo e espaço, e também refletem impressões em nosso próprio corpo e mente.

Nesse encontro-caminhada que inventei junto com Bruno Gold (Baoba Stereo Club) e Ivan Chiarelli (Invisibilicidades), a ideia foi provocar reflexões sobre diferentes conceitos de ruído e nossa relação com ele no dia-a-dia, dialogando com filosofia, música, saúde e cidade. Teve bate-papo no Estúdio Fluxo, de Bruno Torturra, e na sequência partimos  para experiências sonoras pelas ruas do centro.

A experiência teve participação especial de Romulo Fróes e Thiago França.

Captura de Tela 2018-05-10 às 20.23.48

*imagem do livro “Ruido – Fundamentos e Controle” de Samir Gerges

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s